fbpx
Lidando com a Autodúvida

Lidando com a Autodúvida

Home » Inteligência Emocional » Lidando com a Autodúvida

5-ways-to-boost-your-confidence-and-self-esteem

Lidando com a Autodúvida

Todos nós lidamos com a autodúvida. Não é algo que realmente vai desaparecer então você tem que descobrir como você vai reformulá-la.

Então o ponto central é saber como você vai usar a insegurança como uma ferramenta para motivá-lo, para mantê-lo motivado, para garantir que mesmo naquelas coisas de que tem medo, você as abordará com coragem.

Autodúvida não é algo que você deveria estar chateado por tê-la. Eu possuo sonhos e metas tão grandes que me assusto às vezes. Ainda por cima ajudo pessoas a alcançarem seus sonhos, pessoas que confiam suas vidas, sonhos, medos, segredos comigo, além do mais palestro e sou atrevida a escritora.

E tem dias que tenho dúvidas: “será que vou fazer um bom trabalho hoje?’ ou “ Será que isso será realmente possível”.  Todo mundo tem dúvidas. A questão é que algumas pessoas acham que não precisam tê-las, e algumas pessoas estão usando-as como uma ferramenta para parar de se mover em direção aos seus sonhos, em vez de progredir em direção aos seus sonhos.

# 1 Reformule a sua confiança.

Você tem que reformular a confiança. Muitas pessoas dizem: “Illana, não sou confiante. Eu queria estar mais confiante, gostaria de acreditar mais em mim mesmo. Eu nunca acredito em mim mesmo, estou sempre me vendendo, e nunca me dou crédito. Acabei de desistir”.

Acho que o que acontece para muitas pessoas é que elas nunca realmente aprenderam o que é a verdadeira confiança. Às vezes a verdade é que você pode estar confiante, mas ainda ter dúvidas sobre as suas capacidades – e isso faz com que você seja humano.

O que você tem que descobrir é o que significa confiança para você? Em vez de se preocupar tanto com a dúvida, o que é o oposto? Qual é a outra parte disso? O que a confiança realmente significa para você?

A High Performance Habit Academy fez o maior estudo que já foi feito em empresas de alto desempenho em todo o mundo, e o que resultado foi que as pessoas mais bem-sucedidas do mundo abordam a confiança dessa maneira: acreditam em sua capacidade de descobrir as coisas. Isso não significa que eles não tenham dúvidas sobre si mesmas; eles apenas acreditam: “Eu consigo entender e fazer as coisas. Dê-me  tempo, energia, recursos, orientação, apoio, e eu posso descobrir qualquer coisa.”

Você tem que começar a acreditar nisso também.

Ao invés de você gastar tempo questionando a si mesmo, você tem que se perguntar: “Já descobri ou fiz coisas no passado que eu não estava preparado para?” Com certeza você já fez projetos no passado, você esteve em situações no passado, onde você não tinha ideia de como lidar com isso, mas você descobriu. Tome consciência e baseie sua confiança nisso.

De todos aqueles momentos em que você superou as dúvidas, você superou a ansiedade, você superou a falta de habilidades, o desconhecido, e você ainda assim conseguiu.

Há mais vezes em sua vida que você superou as adversidades, do que você se dá crédito.

Você tem que ter uma memória para as coisas que você superou, tanto quanto você se preocupa com as coisas que lhe faltam. Se o seu padrão de pensamento está sempre repetindo: “Eu sinto falta, eu sinto falta, eu sinto falta, eu sinto falta, eu sinto falta … ”é claro que você vai duvidar o tempo todo, a ponto de parar de tentar.

Se você puder ter uma conversa positiva e se lembrar de todas as vezes em que superou o que não sabia, isso levará a uma genuína autoconfiança.

Então, mesmo que você tenha inseguranças, na próxima vez que você estiver nessa situação de dúvidas, quero que você diga: “Sabe de uma coisa? Eu vou descobrir”, e confie nisso.

# 2: o poder da intenção.

Eu me lembro exatamente do dia que eu decidi quem eu iria ser, em que tipo de pessoa eu me tornaria,  como eu agiria em determinadas situações, como eu trataria as pessoas daquele dia em diante.

Estava eu, vendo um vídeo da Amy Caddy, onde ela contava sua história de superação. Lá ela descrevia a sua jornada para se recuperar de um acidente. Os médicos disseram que ela nunca mais se recuperaria, e nunca conseguiria terminar sequer a faculdade.

Ela felizmente não acolheu a opinião médica e decidiu que teria controle da própria vida.

Um ano após o acidente Amy voltou para a Universidade e, com muitas dificuldades, conseguiu se formar quatro anos após o tempo normal e se tornar psicóloga.

Depois disso ela conseguiu entrar em um bom mestrado e passou a sonhar em trabalhar em uma grande universidade americana. Esse era seu grande objetivo.

Ao terminar seus quatro anos de estudos ela teria então que passar por uma série de apresentações e entrevistas com grandes professores para conseguir atingir seu sonho.

E foi justamente em sua primeira tentativa que ela passou a duvidar de si mesma. Ela tinha pavor de se apresentar em público, ou de ser avaliada.

Logo após disso, Amy se lembrou do acidente, das dificuldades que enfrentou, e pensou que não merecia estar ali. Que já tinha ido longe demais, que era hora de desistir.

E foi o que ela disse para sua orientadora de mestrado, que estava ajudando a Amy com suas entrevistas.

“Isso aqui não é para mim, já fui longe demais, estou desistindo”.

Foi aí então que Amy aprendeu a maior lição de sua vida.

O que disse a orientadora?

“Não, Amy, você não vai desistir. Olha só o que você vai fazer. Você vai lá na frente daqueles professores e vai fingir, fingir que você é confiante, fingir que vai fazer a melhor entrevista de sua vida! Finja, até você conseguir!”

Mesmo cética ela seguiu o conselho de sua orientadora. E sabe o que aconteceu? Amy se tornou professora de Harvard, Universidade mais prestigiada do mundo. E passou a ensinar as pessoas como enfrentar seus fantasmas, como superar seus medos e dificuldades.

“Não finja até conseguir, finja até se tornar aquilo que você quer ser! ” – Amy Cuddy.

As pessoas desconhecem o poder da genuína intenção, de querer tanto algo ou alguma coisa, ao ponto de se transformarem completamente para viver aquilo que desejam.

A partir de agora, acorde todos os dias e diga: “Eu vou ser essas três palavras, hoje.” Por Exemplo, você diz: “Eu vou ser divertido, eu vou para ser brincalhão, vou ser gentil. ”E nesse dia, você é divertido, brincalhão e gentil. E no dia seguinte você diz: “Eu vou ser paciente, atencioso e grato”, e você age com paciência, atenção e agradecido. Você faz isso de novo e de novo e de novo, estabelece uma intenção para quem você quer ser, e é isso. Foi assim que me tornei a pessoa que sou hoje, definindo quem eu seria e me comprometendo com isso.

Portanto, defina uma intenção e seja isso. Faça isso em mais situações em sua vida e em mais dias, semanas, meses e anos, e você ficará confiante em si mesmo, porque sabe que pode direcionar sua mente, suas emoções e seu corpo para ser a pessoa que você realmente quer ser. Quanto mais você fizer isso, mais real, genuína, a autoconfiança entrará em sua vida.

# 3: Obter clareza, obter um plano, obter impulso.

Você precisa obter clareza, você precisa obter um plano e você precisa obter impulso. O que quero dizer com isso é que muitas pessoas têm dúvidas sobre suas vidas porque não têm clareza sobre o que querem.

Muitas pessoas entram em uma situação e têm muita dúvida, porque não sentaram e planejaram. Eles não se prepararam. Eles não perguntaram aos mentores, ou modelaram outros, ou fizeram a pesquisa para descobrir: “Eu deveria fazer a, b, c, d, e.” Em outras palavras, se você não conhece os passos para o sucesso, é claro que você terá mais dúvidas sobre si mesmo. Se você não tem um plano, se você não tem um mapa, se você não sabe o que está fazendo, é claro que vai ter mais dúvidas.

Decida construir um plano, mesmo que você tenha que pedir ajuda.

Aprenda a perguntar para as pessoas certas. Mesmo sendo coach e mentora eu possuo pessoas nas quais eu confio e estou sempre perguntado as suas opiniões. Eu sempre tento pegar o mapa antes de entrar na floresta, para que eu tenha os passos, e uma visão mais clara do que enfrentarei. Conheça o caminho, porque se você puder remover a dúvida sobre o caminho, terá mais confiança em si mesmo.

# 4: Aprenda vs. julgue.

A quarta dica para você (esta é tão direta, mas acho que as pessoas não fazem isso), é que você precisa Aprender versus Julgar, quando se trata de seus comportamentos e seus resultados na vida.

Comece uma revisão de domingo, e todos os domingos tudo o que eu quero que você faça é sentar e realmente avaliar como você se portou na semana passada. Como você realmente portou segunda, terça, quarta, quinta e sexta?

Em quais situações você se saiu bem? Em quais situações você poderia ter feito melhor? O que você aprendeu sobre você mesmo? E use essa sessão de revisão para não se chatear, ou ficar com raiva de si mesmo, ou para agitar o diálogo interno que é preenchido com o ódio de si mesmo, mas sim dizer: “O que eu realmente aprendi sobre quem eu sou e o que eu prefiro? O que eu realmente aprendi sobre o que eu gosto? O que eu aprendi sobre o melhor de mim e o que eu aprendi sobre as minhas emoções? Onde eu me senti pra baixo? Onde me senti confiante?”

Comece a experimentar como você se vê, fazendo um trabalho melhor de rever sua semana.

Eu acho que uma das razões pelas quais as pessoas não têm uma mentalidade tão confiante quanto deveriam, é porque elas estão simplesmente ignorando o quanto elas cresceram. Em vez de se julgar, toda semana você pode ter uma verdadeira sessão de auto avaliação: Como eu fiz?  O que aprendi? Nesse desenvolvimento pessoal, você pode olhar para si mesmo objetivamente, sem julgar, sem dar rótulos negativos, e simplesmente perguntar: “Como eu fiz isso? O que aprendi, o que poderia ter feito melhor? ”.Observe como você está passando por sua vida e depois diga a si mesmo:“ Da próxima vez, farei isso de forma diferente e, da próxima vez, farei isso e da próxima vez, farei isso. ”

Essa é uma mentalidade de aprendizado versus uma mentalidade de julgamento.

Uma mentalidade de julgamento é: eu era um idiota. Eu fui idiota. Eu não gostei de mim mesmo. Eu pareço idiota. As pessoas vão tirar sarro de mim, vão me odiar. Esse julgamento de autocrítica leva a baixa autoconfiança. A maioria das pessoas passa a maior parte do tempo criticando a si mesmas. Sua autocrítica é negativa, em vez de orientada para o aprendizado.

Assim que você muda do ponto de vista negativo para o ponto de vista da aprendizagem, a decepção desaparece, o constrangimento desaparece, o ódio se vai e você começa a aprender o caminho para o novo e mais forte você.

Então, da próxima vez que você tiver dúvidas, pense em algumas dessas coisas:

  • Renove a confiança, não pense que você tem que estar completamente confiante. Apenas diga: “Sabe de uma coisa? Eu vou descobrir o meu caminho através disso. Vai ficar tudo bem. Eu vou confiar Eu descobri coisas no passado, eu vou descobrir agora também.”
  • Certifique-se de começar cada dia, ou entrar em cada situação, com um pouco mais de intenção. Quem você quer ser? E viva nisso, de forma mais consistente, porque isso vai começar a formar o novo você.
  • Certifique-se de ter um plano, basta seguir os passos, assim você ganha um pouco de impulso, e com o impulso vem mais confiança.
  • Certifique-se de que você está aprendendo. Continue aprendendo comigo, continue aprendendo com outras pessoas. Assista vídeos, faças cursos onlines e presenciais, assista palestras, ouça podcasts, leia livros, tenha um(a) coach ou mentor(a). Entre no jogo do desenvolvimento pessoal e entre num vórtice de aprendizado e crescimento.

Você sabe quando vai ser o mais orgulhoso de si mesmo? Quando você encontra autoconfiança real e genuína, e quando você está crescendo no ritmo e na velocidade que você realmente deseja. Então continue aprendendo, meu amigo e minha amiga, porque ouça: você é mais forte do que pensa, e o futuro guarda coisas boas para você.

Illana Mattos

Voltar

Deixe seu comentario

Receba conteúdos exclusivos em primeira mão